Camping Escolar Paralímpico concede treinamento de alta performance em busca de futuras estrelas do esporte brasileiro

04/02/2019 19:27

Projeto organizado pelo CPB envolve atletas que se destacaram nos Jogos Paralímpicos Escolares de 2018

 

São Paulo (SP), 04 de fevereiro de 2019.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

Desde o dia 30 de janeiro até amanhã (5), o Comitê Paralímpico Brasileiro – CPB está realizando o Camping Escolar Paralímpico. O evento está em sua segunda edição – a primeira, porém, com tênis de mesa como uma das modalidades participantes – e busca proporcionar aos atletas que se destacaram nas Paralimpíadas Escolares de 2018, uma vivência de rotina de alto rendimento. O projeto está sendo realizado no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

O Camping Escolar Paralímpico conta com 11 modalidades e 101 participantes. Dentre eles, quatro mesa-tenistas, instruídos por três técnicos: José Maria Souza, de São Paulo; Deois Kiyoshi Kalvelage, de Santa Catarina; e Alexandre Ghizi, o Coordenador no tênis de mesa, que também fez parte da comissão técnica do Brasil nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto, em 2015.

Lucas Carvalhal (SP), Karina Bezerra Becker (SP), Marcos Vinícius do Amaral (MT) e Raquel Alves Santos (MA) são os brasileiros que, após mostrarem qualidade nos Jogos Paralímpicos Escolares do ano passado, conquistaram a oportunidade de participar do projeto, que inclui testes e avaliações. “Eles estão tendo palestras, treinos em dois períodos e vivenciando o dia a dia dos atletas da seleção”, explicou Alexandre Ghizi.

Se depender dos participantes da conversa com os quatro atletas, ao menos, a receita será de sucesso: Iranildo Espíndola, Guilherme Costa, Danielle Rauen, Israel Stroh, Jennyfer Parinos e Paulo Salmin fizeram parte do grupo que compartilhou suas experiências no projeto, com dicas de campeões.

Durante os nove dias de Camping, os treinos estão sendo voltados, principalmente, para melhorar a performance dos atletas. “Estão sendo bem produtivos. Fomos na parte técnica de base, com foco na execução correta dos fundamentos”, contou o Coordenador Alexandre.

Para Ghizi, é um investimento para o futuro do Brasil: “O projeto é muito importante para dar oportunidades a novos talentos. Incluir no processo aqueles atletas que não estão nas Seleções, mas que no futuro podem estar”, finalizou.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa